O Paradoxo da demora na Regulamentação Página em permanente construção* como nós!

Regulamentar atividade profissional:

Lutas e Artes Marciais

O poder público disciplina atividades sem a importância ou abrangência das Lutas e Artes Marciais, como se vê pela Lei Federal 12.467, entre diversas recentes.

Lutas e Artes Marciais constituem o segundo tipo de atividade mais praticada no mundo e o que mais cresce. No Brasil, há milhões de pessoas trabalhando nesse setor, sem regulamentação estatal.

No Congresso Nacional, tramitaram e tramitam Projetos de Lei. Conheça-os aqui.

No Estado do Rio Grande do Sul, há década foi editada lei regional para disciplinar o licenciamento de estabelecimentos; Contudo, caducou, pois jamais foi regulamentada. Detalhes aqui.

 

Porque essa dificuldade? Resulta do ambiente social do momento, quando as Artes Marciais se espalharam. O mundo passava por intensas transformações que revolucionaram a maneira de viver em nosso país.

A acultura da superficialidade estava tomando conta da sociedade. Disseminando o péssimo hábito de decidir sem informações de qualidade e fazer escolhas sem esforço consciente, provocando uma terceirização de partes importantes do processo de pensamento. Isso facilita a imposição de padrões de consumo, com a indução de falsas crenças, e a total inversão de valores.

Para ampliar o lucro proporcionado pelo consumismo, incentivam o egocentrismo e todas as formas de rivalidade, exacerbam a sexualidade e disseminam, sobre diversas formas, o medo, atavismo que aciona o cérebro réptil e entorpece a capacidade de raciocínio. Sobrecarregam os indivíduos de informações inúteis e desencontradas e induzem toda espécie de paradoxo.

A prática das artes marciais e lutas permite manter o medo sobre controle o que, conjugado a metafilosofia oriental que as impregna, torna difícil manipular um iniciado, cuja percepção é diferenciada. Para anular essa influência altamente positiva, os lobistas da acultura da superficialidade aplicaram duas estratégias: Incentivar a rivalidade atávica, e difundir falsas crenças, como a de que: “Artes Marciais fomentam a violência”. Como fazem isto? Clique aqui e assista.

Da rivalidade atávica:

A onda de desenvolvimento propiciou o acúmulo de riquezas, ampliando geometricamente a ganância. Isso desencadeou uma busca por mecanismos de especializada proteção. Ao empilhar conhecimentos, também foi desenvolvida a sabedoria para a luta. Contudo, a defesa efetiva, além de técnicas de combate, também exigia o segredo: Os conhecimentos somente eram transmitidos aos filhos, ou discípulos selecionados. A vida era resolvida em combates reais. Os mais hábeis sobreviveram! Esse modelo sectarista, transmitido durante trocentas gerações, aflorou em um mercantilismo selvagem, o mesmo que destroçara a maior e mais duradoura das culturas! Em pouco tempo, percebendo o perigo que os especialistas marciais representavam para os planos de dominação global, os sociopatolobistas passaram a os jogar uns contra os outros, incentivando o egocentrismo. A rivalidade entre cada uma das centenas das modalidades de Luta amplia-se em numa teia de níveis porque, cada uma, subdivide-se em estilos ou escolas e, estas, em linhagens! Isso proporcional que, durante décadas, os especialistas marciais fossem envolvidos em desgastantes conflitos internos. Só no Brasil, em algumas décadas foram criadas mais de 30 modalidades de artes marciais. Na China, quando o governo comunista impôs uniformidade, apenas uma arte marcial, o Taijiquan, estava dividido em mais de 2000 estilos. Durante décadas, os especialistas marciais foram nocauteados pelos sociopatolobistas, que usaram sua habilidade em manipular o processo de pensamento humano para transformar a chama da rivalidade em uma fogueira das vaidades.

O paradoxo das Artes Marciais

Para inverter os valores, a mídia passou décadas difundindo falsas crenças, como a de que “Artes Marciais fomentam a violência” Nada mais distante da realidade!

Peter Payne, associa Artes Marciais aos Mitos (capa, ao lado). Apesar de preparar o combate, a Arte Marcial desenvolve um caráter pacifista:    Aprender a arte de lutar molda a tranqüilidade e desenvolve o Ki, a capacidade de fluir a energia com paz interior, desenvolvendo o poder de cura, como ilustra a p. 86:

 Farta literatura mundial indexada e com credibilidade no meio científico, a prática de modalidades que envolvem artes marciais não é prejudicial á saúde, independente da idade de quem pratica.” Roberto C. Arena de Souza, médico.

No livro “Samurai, o Lendário Mundo dos Guerreiros”, Stephen Turnbill,   Doutor em História, graduado pela Universidade de Cambridge, intitula a conclusão de “O Paradoxo da Tranqüilidade”.

.

O arquiteto Helio Riche Bandeira há décadas, por vocação, bandeou para o ensino das Artes Marciais e, hoje, leciona na melhor escola do sul do país, o Colégio Militar de Porto Alegre; graduou-se em educação física, e seu mestrado em educação tratou dos benefícios da prática de Artes Marciais. Íntegra do trabalho, aqui.

.

Há duas décadas, a BBC londrina mandou Howard Reid e Michael Croucher, seus principais repórteres a Índia, China, Japão, e Filipinas, descobrindo sobre o Aikido, Bojutsu, Eskrima, Hsing-I, Kalaripayit, Karate, Kendo, Kung-Fu, Marma Adi, Naguinata-Dô, Pa-Kua, Shorinji Kempo, Tai-Chi.

Após editar documentários sobre os grandes mestres das Artes Marciais, descrevem no livro "O Caminho do Guerreiro, o Paradoxo das Artes Marciais” sua experiência sobre a intrigante constatação de que a prática de uma habilidade mortal auxilia a alcançar a iluminação espiritual.      A preparação para a luta propicia uma paz interior: Os mais exímios lutadores do mundo, são pacifistas, éticos, disciplinados, tranqüilos, e dotados de extraordinário grau de percepção.

Da transcendência:

Apesar da infâmia sofrida no Brasil, a transcendência característica das Artes Marciais permitiu resistirem ao assédio aqui, enquanto cresciam no mundo, a ponto de se tornarem a segunda modalidade de atividade física mais praticada no planeta, na virada do milênio!

Reflexo do fenômeno global, em 2011, no país do futebol, as Lutas bateram a audiência dos jogos dos campeonatos estaduais de futebol profissional. Tanto que a grande mídia, avessa às Lutas, percebeu que não podia ficar de fora de um negócio tão grandioso. Mesmo que não desenvolva-se um preconceito reverso, as Lutas podem se tornar o principal esporte espetáculo. A própria acultura da superficialidade que, durante décadas sufocou as Lutas, colabora para mudar o paradigma: Aproveitar toda a emoção de um jogo competitivo envolve investir mais do que uma hora e meia. Uma luta, contudo, pode ser saboreada em poucos minutos, e com um menu de opções altamente palatável para uma sociedade embalada pela falsa crença de que tudo precisa ser muito rápido. Ademais, os esportes com bola que, hoje, ocupam a posição de destaque, consistem em um conjunto de abstrações com bastante distorção da realidade. É muito mais fácil envolver-se nas Lutas que sempre fizeram parte do mundo real: Afinal, a vida é uma competição, que iniciou há 4 bilhões de anos!

Quem trabalha com Direito Desportivo, fique ligado: Os mais idolatrados atletas, em breve, podem deixar de ser os pés de obra. O que, por enquanto, mantém o esporte bretão em alta, é o clubismo. Este, contudo, poderá ser desenvolvido também nas Lutas.

As sementes foram lançadas!

 Karate

Wunshu Taijiquan Tai Chi

Tae Kwon Do

Seiza  importância de meditar

Capoeira uma das 30 modalidades de luta criadas no Brasil

º

Para realizar grandes sonhos necessitamos  [ [ [ Grandes sonhos! [Hans Seyle]

 

 

 

 

Professor LUiZ Roberto Nuñes PADilla

Especialista em Processo e Direito Desportivo

Linhas de Pesquisa:

1 MMM       uM Mundo Muito Melhor:

Para realizar grandes sonhos

[Hans Seyle] necessitamos grandes sonhos!

Presidente do TJD-FGK, STJD-CBMTT e SINDIPLAM-RS

1 Direito Desportivo

2 Teoria Geral dos Processos

3 Práticas de Processo

4 Transdisciplineridade, outras teses e publicações

Forte   é quem   vence  sem  lutar, 

        mesmo tendo o  poder de vencer lutando...

Martial Arts are a healthy sport. It´s good for the body, mind, spirit. It teachs how to be a much better person.
Meanwhile it has one of the best regulations of tournament.
Although is a fighting sport, the competitions has few casualties.

Em que consiste ser professor?

Clóvis e Athos exemplos dos grandes Mestres da Faculdade de Direito da Ufrgs

Construa 1 MMM   uM Mundo Muito Melhor:                               O Movimento ACORDAR consiste no despertar do torpor instalado pela acultura da superficialidade egocêntrica. Paradoxos, valores invertidos e sobrecarga de informações irrelevantes, incompletas e distorcidas entorpecem: Os sociopatolobistas querem impor uma vida imediatista, alheia as conseqüências: Ressuscitaram o pior hábito da decadência do Império Romano, Carpe dien.  O medo de não haver futuro alicia uma atitude antiecológica de viver até o esgotamento. A maioria das pessoas bem intencionadas é anulada sendo jogadas, umas contra as outras, enquanto são bombardeadas com falsas crenças como "felicidade é um direito!" ou "já nascemos prontos!". Valha-nos o Prof. Dr. Mário Cortella, orientando e braço direito, por 17 anos, até o falecimento do 46 vezes doutor Paulo Freire, o Patrono da Educação Brasileira, Lei 12.612/2012.

Bom humor ecológico é Empowerment:   ajuda a vivermos mais e melhor!

 Piadas discriminatórias, bullying para destruir cultura e manipular uns contra outros!

Exemplo:  Difamar a cultura gaúcha facilita padronizar o consumo.

Não acredite,  teste!

Bilhões em jogo Futebol atividade física mais praticada no Mundo

Jogos Olímpicos

Paradoxo das Artes Marciais a 2ª atividade + praticada e a que + cresce.

 

Crianças e adolescentes com necessidades especiais ajude a Kinder

 

Saúde:    Cuidado com a “indústria da doença” .

Seja a mudança que quer ver no Mundo! (Gandhi) visitante nº Contador Site em permanente construção,  Aperfeiçoe-se e construa 1 Mundo Melhor. Em 14.12.2003 os trabalhos precursores deste site registravam 136706382 visitas. Em 2005, os news somavam + de 50 BILHõES de acessos quando o provedor Grupos.com desativou o contador automático.

Contato com o Professor Luiz Roberto Nuñesos PADilla   e-mail e MSN:    luizrobertonunesos@padilla.adv.br

Telefone +55  51( 92.5494.00 DIR2 33.08.3322 Departamento de Direito Privado e Processo Civil

CEP 90046-900 UFRGS Faculdade de Direito Campus Centro Porto Alegre RS Rio Grande do Sul Tchê  Brasil  Mapa

http://cev.org.br/qq/padilla

Currículo Lattes

http://www.linkedin.com/in/padill

http://twitter.com/Prof_PADilla

http://www.myspace.com/482548792

http://www.facebook.com/padillaluiz

http://padilla-luiz.blogspot.com

http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=1990308448905105073

http://www.viadeo.com/pt/profile/padilla-luiz-roberto-nunes-padilla.pad

http://aiccint.ning.com/profile/PADillaLuizRobertoNunes

http://www.sonico.com/profile.php?u=62628997

http://www.hi5.com/i?l=B_0_ekKuDWL-PADilla

http://www.videolog.tv/Padilla

http://pt.netlog.com/PADilla_Luiz

http://br.octopop.com/padilladv

http://www.tagged.com/padilla

http://pad1lla.spaces.live.com

http://vimeo.com/pad