O paradoxo da SABEDORIA - Teoria Geral dos Processos - Acultura da Superficialidade: Página em permanente construção* como nós!

“O adormecido deve despertar...”

A democracia foi concebida em pequenas cidades, nas quais os cidadãos se reuniam para debater e decidir as questões comuns. No mundo moderno, é um engodo, uma ditadura da minoria que controla o processo de comunicação e o pensamento coletivo.

Os sociopalobistas fomentam preconceitos, e jogam as pessoas decentes umas contra as outras, anulando-as, enquanto disseminam a acultura da superficialidade Aproveitam as características do processo de pensamento, como a da “deleção”. Há uma percepção seletiva. Note os olhos humanos, eles piscam até 20 vezes em um minuto; ao longo de um dia, isso chega a somar uma hora de olhos fechados. Contudo, você percebeu essa uma hora de escuridão? Não? Ninguém percebe porque o nosso processo de pensamento tem filtros, e um deles deleta o que ESTÁ PROGRAMADO NO INCONSCIENTE QUE NÃO INTERESSA, como o escuro gerado pelo piscar de olhos, e outras coisas que o nosso inconsciente APRENDE a não dar importância. Note como muitas pessoas observam o bom na atividade dos outros e não percebem os problemas? Por isto tantos acham a vida dos outros mais interessante, do jardim a(o) namorada(o).

Embora a comunicação constitua a ferramenta essencial para a maioria das atividades, quais currículos se preocupam em a estudar? Claro, não querem despertar a consciência. Isso faz parte do desmanche do ensino:

A baixa cultura, realimenta-se, criando um círculo vicioso:

Para resolver todos os riscos ambientais no Brasil bastam 3 bilhões. A saúde pública pode ser sanada com 15 bilhões! A educação será recuperada com 10 bilhões. Assim, com menos de 30 bilhões remodelaríamos todo o país. O Governo não resolve esses problemas. A desculpa é a falta de recursos. Nega, até, singelas reposições inflacionárias a funcionários importantes, como os da justiça federal! Certamente, querem provocar evasões das pessoas experientes porque gente nova sempre é muito mais fácil de manipular.

Contudo, na COPA 2014 e Olimpíadas 2016 os gastos governamentais, sendo 97% dinheiro público, serão entre 80 a 100 bilhões, em grande parte desviados na corrupção.

Como a maior parte da população pode comportar-se como se fosse "normal" tanta inversão de valores? Certamente, está entorpecida! Também pudera:  É afogada por uma sobrecarrega de “informações” irrelevantes, incompletas e distorcidas, misturando realidade com ficção e sensacionalismo:

 Para terceirizar a vontade, exacerbam as sensações momentâneas e a inveja, estimulam o sexismo e o egocentrismo, hedonista procura do prazer imediato, fácil e de baixo custo de investimento pessoal,  induzindo as pessoas à insegurança e ao isolamento! A apologia do aparentar, do fingir, acentuam a superficialidade, e viciam em pseudo-reflexão, sendo envolvidos em paradoxos.

 Preconceitos, bullyng, difamações, assédio...

 Os afetados pela “acultura da superficialidade” ficam limitados a uma vida imediatista, destituída de percepção ecológica, sem perceber as conseqüências de seus atos e as interações da vida.  A maioria das pessoas bem intencionadas é anulada simplesmente as jogando, umas contra as outras, enquanto são bombardeadas com falsas crenças como:   "Felicidade é um direito!" ou  "Já nascemos prontos!"

 Os que lucram com superficialidade e atos ilícitos ressuscitaram um hábito da decadência do Império Romano, de acreditar que não haverá amanhã, de forma a viver o presente até o esgotamento: Carpe dien.  Ao final desta página, encontrarás um divertido vídeo com o Professor Mário Cortella. Por 17 anos, foi principal assessor e discípulo do 46 vezes doutor Paulo Freire, a quem substituiu nas funções acadêmicas. Lei nº 12.612, de 13/4/2012, DOU 16/4/2012, declarou Paulo Freire o patrono da Educação brasileira: http://video.google.com/videoplay?docid=666414306773119705#

Do ACORDAR:

Despertar da consciência, do torpor instalado pela acultura da superficialidade egocêntrica, no qual as pessoas com boas intenções são anuladas, jogadas umas contra as outras, entupidas por paradoxos, valores invertidos, falsas crenças e envolvidas por uma sobrecarga de informações irrelevantes, incompletas e distorcidas!

Enquanto as vítimas da violência sofrem sem ajuda de ONGs ou do Estado, há milhões de pessoas e muitas ONGs e entidades estatais defendendo Direitos Humanos para quem praticou atos ilícitos e violências. A descontextualização dos delinquentes como "vítimas" de uma sociedade maldita, alicia a sua defesa muitas pessoas bem intencionadas, as quais não percebem que os mentores dessa inversão de valores, os sociopatolobistas, querem a degradação social e o domínio do medo, que torna a população refém do atavismo, e muito fácil de controlar!

Defender os direitos dos manos que praticam violência, e preterir a assistência às vítimas?

Como a população pode comportar-se como se fosse "normal"?  Porque está entorpecida!

A ignorância é idolatrada por mensagens subliminares embutidas em novelas, mini séries, etc., até o inconsciente coletivo aceitar a INVERSÃO de VALORES:

“Cultura e esforço são irrelevantes, o importante é se dar bem.”

Deturpada pelo “jeitinho brasileiro”, a DEMOCRACIA transformou-se na DITADURA da MAIORIA alheia à cultura. Os resultados estão ai...

Democracia é um engodo, uma ditadura de acultura: A maioria que "decide" está entorpecida e os resultados são controlados por uma parcela inferior a 1% controla tudo mediante a manipulação de metade da população..

E as pessoas cultas?

Toleram,  quase inertes,  porque nossa capacidade de (re)ação tem sido minada pelo décifit de atenção coletiva e pelo "bloqueio" das crenças falsas, como: “A corrupção é um problema endêmico e antigo, está no DNA da política brasileira.” 

Somos enredados em uma teia de paradoxos:

O carro pode acelerar mais do um avião decolando; contudo, dirigimos mais devagar do que um jegue. Por que? Quem devia fazer o trânsito fluir, em verdade, quer que desperdicemos combustível em tranqueiras para aumentar a arrecadação de impostos.

Já pensou em quanto combustível é desperdiçado no trânsito irracional e engarrafado? Pois a mesma gentalha responsável pelo trânsito caótico demagogicamente usa um discurso ecológico para nos motivar gastar, a trocar de carro, de geladeira, etc., para uma suposta economia de energia. Agora, inventaram que devemos comprar sacolas... Querem, na verdade, que sejam pagos mais impostos! E se estás dirigindo, e vais a uma festa, sofre a desdita de não beber um cálice de vinho porque pode ser preso, como se fosse um criminoso!

Enquanto os verdadeiros criminosos praticam conchanbrâncias e chumbregâncias livremente.

O aparato policial (que nós pagamos!) concentra-se nas vias movimentadas onde para os trabalhadores e consumidores na expectativa de multar quem tomou um drinque para relaxar.

O sistema pune quem toma um copo de cerveja ou vinho e volta para casa dirigindo é o mesmo que tolera comportamentos irracionais no trânsito e, pior, faz vista grossa a quem dirige entorpecido por drogas de todo tipo.

Tanto por drogas ilícitas como pelo coquetel narcotizante, receitado por médicos egressos dos congressos que propagam a “ciência” médica que são pagos pelas multinacionais de medicamentos, que também financiam as editoras e, portanto, decidem o que divulgar como “verdade” para aumentar seu lucro com todo esse sistema.

O trabalhador, sem esperança de melhorar a vida, paga impostos elevadíssimos nas bebidas e em outros paliativos da vida SEM SENTIDO que leva. Enquanto isto, o mega empresário viaja ao exterior, compra da pasta de dente, até bebidas, sabonete, xampu, etc, no free shop, nas viagens de passeio e trabalho... Compra suas roupas e outros produtos no exterior, onde a carga tributária é de 1/3 a 1/5 da nossa, ou se aproveita de promoções ou permutas. Gasta seu dinheiro em luxos no exterior, praticamente imune aos impostos.

Os paradoxos induzem a um estado de ansiedade, e esvaziam a vida de sentido. Isso faz você se sentir mal? Vai procurar ajuda? Cuidado! Podes cair no pior engodo: A indústria da morte travestida de medicina:

As multinacionais dos medicamentos, que financiam os congressos médicos e as editoras, decidem o que será divulgado como “ciência”. De uns anos para cá, disseminam o vício em drogas tal maléficas quanto os entorpecentes, pois igualmente viciam e robotizam, além de desencadearem doenças. Tudo armado para enriquecer a "indústria da morte": http://padilla-luiz.blogspot.com/2011/06/criancas-drogadas-por-pais-entorpecidos.html

A partir dos anos noventa, começa a prática da encenação jurisdicional. Foros e Tribunais foram enlameados pela crença de que a celeridade é tudo...

A frustração da Justiça tornou-se um dos piores paradoxos:

Os maus são bem sucedidos:

Os corretos,  sofrem.

Danos e lesões ao direito não são reparados: http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=25300

Há décadas, pessoas bem intencionadas são jogadas umas contra as outras, provocando o desmanche do ensino e das instituições em geral, que facilita a dominação:

Hoje estão usando a mesma tática para acabar com a advocacia que – durante séculos, foi o grupo defensor da Justiça: A OAB foi, até algum tempo atrás, a maior defensora da liberdade e dos direitos.

Sob o pretexto de liberdade, imprensam os direitos fundamentais até os anular! Por pura cupidez, mirando apenas o lucro, não se comprazem de manipular a informação, misturando realidade com ficção.   que consiste em uma das práticas mais dantescas e imorais. Pode ser pior do que a tortura física, porque esta deixa marcas que se podem usar para provar om fato e atrair a compaixão. Também se pode fugir (ou tentar!), se pode reclamar, podemos pedir ajuda!. Aquela, contudo, a tortura humana pela pura a simples destruição de uma pessoa pelo assédio moral, bullying e manipulação de informações, é dissimulada, demora a ser detectada, as vezes a vítima só percebe tarde demais, ou morre sem saber. Num dos capítulos do manual de TGP ed. 2000, esgotada, abordo esse fenômeno na eleição e, depois, destruição de Collor.* Não publiquei mais, somente disponibilizo aos alunos de TGP a versão mais atualizada, pois, há quase um lustro estudo a comunicação e o processo de pensamento, editado e ampliado, com exemplos didáticos de como os comportamentos são aliciados, ou como acontece a indução de estados emocionais para anular e entorpecer, e o quanto tudo isto é potencializado pelo "contrabando" de falsas crenças e identidades, e valores invertidos, embutido em misturas de realidade e ficção:

O direito é um plano de atuação que depende da comunicação, cujos canaIs de entrada e de saída de informações dependem do processo de pensamento, que se baseia e um inconsciente que pode estar impregnado de crenças falsas e valores invertidos.

Sabia de um quadro piloto, do Programa Fantástico, do Pedro Bial e Marcelo Tas, jamais foi ao ar?

A direção o vetou porque mostra como a mídia manipula e induz o telespectador:

http://vimeo.com/pad/midia-falsas-crencas

Eleição aliciada e destruição programada de Collor: http://www.padilla.adv.br/etica/idolatria/

As CAUSAS da corrupção, da criminalidade e da ineficácia da Justiça decorrem da mesma fonte...   E as possíveis soluções? http://www.padilla.adv.br/processo/morosidade/

Não precisa acreditar: Teste aqui.

O principal mecanismo usado na manipulação são as distorções audiovisuais e, nesses testes, você pode calibrar a sua percepção:

O próprio conteúdo das palavras pode ser distorcido. Nem sempre o que pensamos ver ou ouvir é verdade. Entre o que os nossos sentidos captam, e o que temos consciência, existem filtros, os quais interferem na qualidade das informações. Alguma parte da informação sensorial pode ser bloqueada (deleção), ou alterada (distorção), ou a ela pode ser incorporado alguma coisa que não foi captada pelos sentidos (alucinação).

Assista, agora, alguns vídeos, que mostram como a mídia trabalha para induzir falsas crenças misturando realidade e ficção, especialmente descontextualizando.

Como a mídia induz crenças coletivas? clique aqui:

Exemplo de manipulação, a infâmia contra as lutas, clique aqui

Nada substitui canais sensoriais limpos e a percepção ativada

Sugerimos retornar ao processo de pensamento e examinar a programaçãode crenças. Tome cuidado com os psicopatas. Examine-o clicando aqui.

.

Direito, valores, esporte e sociedade:

A vida em sociedade depende do que denominado de paz social, a qual se ampara sobre três pilares: O plano dos valores, o plano do direito e o plano do esporte(jogos). Este último é o principal mecanismo da descarga tensional (Freud, “O mal-estar na Civilização”; Jung, “Obras completas”). A vida “civilizada” subtrai, do cotidiano, a competitividade permanente, inerente à vida, a qual é uma competição que perdura há 4 bilhões de anos. Entenda melhor o desporto clicando aqui.

Caixa de texto: Há décadas pesquisando o funcionamento da Justiça, incorporamos uma abordagem transdisciplinar, acrescentando a perspectiva humana. Ademais de formulação de uma Teoria (efetivamente) Geral dos Processos, há publicações em diversos sítios, como no Espaço Vital, inclusive sobre  a encenação jurisdicional,  e as falsas crenças e valores invertidos sobre importantes princípios que muitos operadores jurídicos comportam-se como se não existissem, casos da Sucumbência e Lealdade!

Os 4 planos de atuação humana:

Em sociedade, humanos transitam por diferentes planos. A vida em sociedade depende do que costumamos chamar de paz social, estruturada sobre 4 planos de atuação humana: Atuamos no plano dos fatos; no plano dos valores/crenças; no plano do direito; e no plano do esporte. Este último, é o principal mecanismo da descarga tensional (Freud, “O mal-estar na Civilização”; Jung, “Obras completas”). Apesar de distintos, há áreas de interseção entre os planos, facilitando a passagem desapercebida, de um para outro plano. Dessa peculiaridade, aproveitam-se os manipuladores para aliciar crenças. Individual e  coletivamente, pois a maioria das pessoas simplesmente ainda não percebeu as intensas mudanças que acontecem a sua volta. Muitos, ainda não perceberam em qual das ondas de desenvolvimento tecnológico em que nos encontramos.

Como crenças e valores podem ser manipulados? Clique aqui

 

A quem interessa a cultura da superficialidade?

As melhores escolhas dependem de informações de qualidade e um esforço consciente para as compreender, trabalho que consome tempo e energia. Contudo, a cultura de superficialidade dissemina falsas relações de causa e efeito: “Trabalho intelectual sempre pode ser mensurado por quantidade” é uma crença falsa; valoriza quem aparenta trabalhar e apresenta estatísticas de produtividade - p.ex. movimenta processos, decide muitas questões - contudo, através de mecanismos de solução superficial, sem ponderar, não raro sequer examinar todas as informações.

O excesso de informações confunde? Desvia o foco do pensamento? "É impossível saber tudo e acertar sempre logo a celeridade é mais importante do que a segurança." Outra falsa relação de causa e efeito, que valida as decisões apressadas.

O Ministro Ari Pargendler ao tomar posse como Presidente do STJ:

"Entre o artesanato e a indústria, eu ainda prefiro ...

não julgar a julgar errado." http://www.canaleletronico.net/index.php?option=com_content&view=article&id=439

“Não está sendo fácil corrigir os rumos, implantar práticas administrativas modernas, desalojar os vilões do Poder e, principalmente, mudar os usos e costumes de um Judiciário desenvolvido à sombra de uma sociedade elitista, patrimonialista, desigual e individualista. Este não é um trabalho de pouco e para pouco tempo. É meta arrojada a exigir esforço concentrado de todos os atores da atividade judicante, especialmente dos magistrados. Não podemos esperar pelo legislador e pelo Executivo. A iniciativa de reconstrução é nossa”. Ministra Eliana Calmon.

A estagiariocracia:   "Respeito muito os estagiários. Eles dão sentenças, fazem acórdãos, pareceres, prendem, soltam, elaboram contratos de licitação, revisam processos..." artigo de Lênio Streck, procurador de justiça.

"Os juízes assinam mais decisões do que eles realmente podem ler" entrevista com o ministro Ari Pargendler, Presidente do STJ

Se o exame cuidadoso aumenta as chances de escolhas corretas, a solução rápida produz muitos erros, e transforma justiça, algo sério, numa loteria: Vencer não é prerrogativa de quem tem razão, e muito mais de sorte ou de influência!

Quem aproveita tal inversão de valores?

Que grupos se beneficiam dessas crenças?

É muito mais fácil e rápido   buscar um único motivo para indeferir,     do que analisar toda a prova,    concluir pelo direito,   e ainda ter que mensurar o dano!

A improcedência de pleitos justos, com a impunidade dos maus, estimula a audácia e fomenta comportamentos ilícitos?

O uso da linguagem para dominar, não é uma novidade:

Há um quarto de século,  em Tese de Livre Docência de 500 laudas “Teoria Crítica do Direito”, Luiz Fernando Coelho revela o direito como instrumento de dominação. Síntese em 6 laudas, de nossa autoria, em RDC-RT v.49/21-3 também em:  www.padilla.adv.br/teses/normas

A distorção, na aplicação do direito, o exercício superficial do poder, compromete as liberdade, democracia e dignidade?

O povo que o aceita, como “normal”, está "robotizado"?

Controlando a informação e o processo de pensamento, a "indústria de consumo" transforma as pessoas em engrenagens para ampliar o lucro?

Onde foi parar a DIGNIDADE da pessoa humana? Art. 1º, III, da Constituição Federal

O sistema de crenças e valores contemporâneo incentiva  o comportamento aético - a “cair em tentação. Acentua o egocentrismo e toda mesquinharia, responsáveis pela maioria dos problemas humanos. Tudo decorre de comandos ao inconsciente.

As crenças ingressaram no sistema jurídico, com ajuda da cultura de superficialidade. Quando uma decisão contém contradições, dúvidas, ou se omite sobre questão levada ao conhecimento do Tribunal. Quem pediu socorro ao Poder Judiciário é lesado na garantia fundamental em que se esteia o "Estado de Direito".

O Estado monopoliza a jurisdição, dizer quem tem razão... Proíbe o exercício das próprias razões, punindo-o como um grave crime contra a administração da Justiça (art. 345, do Código Penal).

O Direito é um mecanismo fundamental à paz social, contudo, implica em uma contrapartida. O ato de poder do Judiciário exige fundamentação. Não basta dizer qual é a vontade da Lei;   é necessário dizer por que aquela é a vontade da Lei.  É preciso "exteriorização de valores sobre as provas e questões submetidas ao julgamento do juiz."   Nelson Nery Jr, Princípios do Processo Civil na Constituição Federal.    RT, 1995, 2ª ed., rev. e aum. pág. 159.

Normalmente,   a Constituição Federal não contém sanções. O Legislador Constitucional Caixa de texto: José Eduardo Carreira Alvim (Teoria Geral do Processo, Forense), registra que Niceto Alcalá-Zamora y Castillo terminou admitindo que autotutela era um vocábulo melhor que autodefesa para definir a satisfação pelo exercício das próprias razões. Contudo, querendo justificar a manutenção do título de sua obra, já clássica, “Proceso, Autocomposición y Autodefensa”, alegou preocupação com o emprego do vocábulo autotutela. Diz temer que esse instituto de direito processual pudesse ser confundido com uma situação, de direito material, na qual o indivíduo, prevendo a possibilidade de vir a ser interditado, indicasse de antemão o seu tutor. Isso até poderia ser chamado de autotutela, não fosse juridicamente impossível: Quem está em vias de ser interditado não tem capacidade jurídica para indicar o seu tutor. 
Essa é uma piada pronta, da vida, da história real, ilustra a via crucis da encenação jurisdicional, popularizando pretextos para não trabalhar. Um pirandeliano, cosi e, se vi pare, que toma o que quer que lhe pareça afirmando, com convicção, qualquer estultice que, na imaginação do autor, serve ao propósito de não levar adiante a tarefa que é seu mister:
"J`ai voulu voir jusqu`oú allait la bêtise humaine: elle est sans limites" André Maurois,   Letter Ouverte a um Jeune Homme, Paris, ed. 1966,  p.38
"A estultice tem uma real e efetiva importância no agir humano.   Talvez seja por isso que o poeta Schiller escreveu,  há dois séculos, que ‘Contra a estupidez os próprios deuses lutam inutilmente’.     Apesar de tudo, para mim, na minha visão de professor de Direito,   não é demais ainda confiar na inteligência humana,  que um dia acabará prevalecendo.” (Paulo Pasquilini)
Porque as pessoas espertas podem ser tão tolas? http://www.padilla.adv.br/evoluir/tolice/


deve produzir normas descritivas e principiológicas. Somente diante de princípio de extrema importância a Constituição fugirá do padrão, para estabelecer sanção direta como a do art. 93, inc. IX:

"Todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciário serão públicos, e fundamentadas todas as decisões, sob pena de nulidade..."     Constituição Federal, art.93,  inc. IX (grifamos)

 Não obstante a sanção de nulidade para a desobediência à regra que enuncia,  ela não é levada a sério. Cresce a atividade, pretensamente jurisdicional, sem compromisso com a fundamentação.

Essa exigência, inclusive cominando pena de nulidade, tem razões lógicas no Estado de Direito. Lembrando Niceto Alcalá-Zamora y Castillo no clássico Proceso, Autocomposición y Autodefensa,     Carlos Silveira Noronha sintetiza porque o Estado tem o dever de prestar jurisdição, como alternativa a autotutela:

"Esta forma de resolver as contendas [autotutela]... apresentava graves inconvenientes... não só porque Atribua-se ao credor a função de árbitro do seu próprio ou pretenso direito, que o julgava em causa própria, com sua consciência obliterada pela emoção do interesse próprio ou em face da recusa do obrigado, mas também porque conduzia o interessado a expor-se a excessos, no caso de resistência justa ou injusta do devedor... com emprego da força... Ora, tal situação, que ensejava uma solução egoística, unilateral e parcializada do litígio poderia desordenar a sociedade, lançando sobre seus membros a insegurança, a desconfiança, a perplexidade quanto à efetiva realização dos seus direitos, diante da ameaça da decisão injusta..."  Carlos Silveira Noronha, Sentença, perfil histórico-dogmático, RT, 1995, p.12; Essa, e outras obras, documentam porque, em 12-7-95, foi aprovado a Professor Titular em Processo Civil, na Ufrgs, banca constituída por Ada Pellegrini Grinover, Adroaldo Furtado Fabrício e Barbosa Moreira.

A pacificação social pela força do Direito, proibindo o exercício das próprias razões, impõe que o Estado-juiz outorgue tutela jurisdicional com fundamentação que convença o jurisdicionado, o qual é o destinatário do ato Estatal.

Se for apenas formal e superficial, é uma encenação!

A estagiariocracia:   "Respeito muito os estagiários. Eles dão sentenças, fazem acórdãos, pareceres, prendem, soltam, elaboram contratos de licitação, revisam processos..." artigo do professor Lênio Streck, procurador de justiça.

 "Os juízes assinam mais decisões do que eles realmente podem ler" entrevista com o Ministro Ari Pargendler, Presidente do STJ

O Estado-Juiz deve convencer especialmente àquele contra quem afirma não ter razão. O Direito tem a sua força na lógica aplicada aos fatos. O exame superficial é uma ofensa à razão de existir jurisdição e da própria existência do Estado, que é a dignidade humana. Configura gravíssima violação da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Contudo, A sociedade brasileira está sob a influencia de um grande contingente de operadores que "... se consideram modernos. Contudo, exalam os ares fétidos da decadência do Império Romano: “´Carpe diem!´” Acreditam poder não haver amanhã! Cresceram sob o bombardeio de falsas crenças, estímulo à inveja, ao sexismo e egocentrismo. Sofrendo sobrecarga de“informações” irrelevantes, incompletas e distorcidas pela mídia que mistura de realidade, ficção e imagens manipuladas e apologia o aparentar, a superficialidade, e a pseudo-reflexão."  http://www.espacovital.com.br/noticia-27693-as-mazelas-acultura-superficialidade

O que podemos fazer?

Muita gente boa está se aglutinando em torno da idéia de ACORDAR do torpor...  Considere-se convocado a participar!

 

Para o Processo de Comunicação, clique aqui.

Para a manipulação do Processo de Pensamento, clique aqui

Exemplo de encenação jurisdicional, o Direito do Consumidor, clique aqui

Para a Teoria Geral dos Processos, clique aqui.

Exemplo de encenação jurisdicional, o Direito do Consumidor, clique aqui

Vídeo apresenta como a mídia induz crenças coletivas: clique aqui:

Exemplo de manipulação, décadas de infâmia das lutas, clique aqui

 

 

 

 

Professor LUiZ Roberto Nuñes PADilla

Especialista em Processo e Direito Desportivo

Linhas de Pesquisa:

1 MMM       uM Mundo Muito Melhor:

Para realizar grandes sonhos

[Hans Seyle] necessitamos grandes sonhos!

Presidente do TJD-FGK, STJD-CBMTT e SINDIPLAM-RS

1 Direito Desportivo

2 Teoria Geral dos Processos

3 Prática de Processo

4 Transdisciplinaridade, outras teses e publicações

Em que consiste ser professor?

Clóvis e Athos exemplos dos grandes Mestres da Faculdade de Direito da Ufrgs

Construa 1 MMM   uM Mundo Muito Melhor:            O Movimento ACORDAR consiste no despertar do torpor instalado pela acultura da superficialidade egocêntrica. Paradoxos, valores invertidos e sobrecarga de informações irrelevantes, incompletas e distorcidas entorpecem: Os sociopatolobistas querem impor uma vida imediatista, alheia as conseqüências: Ressuscitaram o pior hábito da decadência do Império Romano, Carpe dien.  O medo de não haver futuro alicia uma atitude antiecológica de viver até o esgotamento. A maioria das pessoas bem intencionadas é anulada sendo jogadas, umas contra as outras, enquanto são bombardeadas com falsas crenças como "felicidade é um direito!" ou "já nascemos prontos!". Valha-nos o Prof. Dr. Mário Cortella, orientando e braço direito, por 17 anos, até o falecimento do 46 vezes doutor Paulo Freire, o Patrono da Educação Brasileira, Lei 12.612/2012.

Bom humor ecológico é Empowerment:   ajuda a vivermos mais e melhor!

 Piadas discriminatórias, bullying para destruir cultura e manipular uns contra outros!

Exemplo:  Difamar a cultura gaúcha facilita padronizar o consumo.

Não acredite,  teste!

Bilhões em jogo Futebol atividade física mais praticada no Mundo

Jogos Olímpicos

Paradoxo das Artes Marciais a 2ª atividade + praticada e a que + cresce.

 

Crianças e adolescentes com necessidades especiais ajude a Kinder

 

 

 

Construa 1 MMM   uM Mundo Muito Melhor:             O Movimento ACORDAR consiste no despertar do torpor instalado pela acultura da superficialidade egocêntrica. Paradoxos, valores invertidos e sobrecarga de informações irrelevantes, incompletas e distorcidas entorpecem: Os sociopatolobistas querem impor uma vida imediatista, alheia as conseqüências: Ressuscitaram o pior hábito da decadência do Império Romano, Carpe dien.  O medo de não haver futuro alicia uma atitude antiecológica de viver até o esgotamento. A maioria das pessoas bem intencionadas é anulada sendo jogadas, umas contra as outras, enquanto são bombardeadas com falsas crenças como "felicidade é um direito!" ou "já nascemos prontos!". Valha-nos o Prof. Dr. Mário Cortella, orientando e braço direito, por 17 anos, até o falecimento do 46 vezes doutor Paulo Freire, o Patrono da Educação Brasileira, Lei 12.612/2012.

Crianças e adolescentes com necessidades especiais ajude a Kinder

 

Saúde:    Cuidado com a “indústria da doença” .

Seja a mudança que quer ver no Mundo! (Gandhi) visitante nº  Site em permanente construção,  Aperfeiçoe-se e construa 1 Mundo Melhor. Em 14.12.2003 os trabalhos precursores deste site registravam 136706382 visitas. Em 2005, os news somavam + de 50 BILHõES de acessos quando o provedor Grupos.com desativou o contador automático.

Contato com o Professor Luiz Roberto Nuñes PADilla   e-mail e MSN:    luizrobertonunesos@padilla.adv.br

Telefone +55  51( 92.5494.00 DIR2 33.08.3322 Departamento de Direito Privado e Processo Civil

CEP 90046-900 UFRGS Faculdade de Direito Campus Centro Porto Alegre RS Rio Grande do Sul Tchê  Brasil  Mapa

http://cev.org.br/qq/padilla

Currículo Lattes

http://www.linkedin.com/in/padill

http://twitter.com/Prof_PADilla

http://www.myspace.com/482548792

http://www.facebook.com/padillaluiz

http://padilla-luiz.blogspot.com

http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=1990308448905105073

http://www.viadeo.com/pt/profile/padilla-luiz-roberto-nunes-padilla.pad

http://aiccint.ning.com/profile/PADillaLuizRobertoNunes

http://www.sonico.com/profile.php?u=62628997

http://www.hi5.com/i?l=B_0_ekKuDWL-PADilla

http://www.videolog.tv/Padilla

http://pt.netlog.com/PADilla_Luiz

http://br.octopop.com/padilladv

http://www.tagged.com/padilla

http://pad1lla.spaces.live.com

http://vimeo.com/pad